Sabe que competências deve colocar no seu CV?

As competências pessoais, sociais e técnicas podem ser adquiridas por via informal ou ser treinadas, desenvolvidas e melhoradas.

Colocar este tipo de competências no seu currículo é importante – e falar sobre os exemplos que as evidenciam, em contexto de entrevista, também. Mas o que é que deve colocar? Quais são as características mais importantes para uma vaga de emprego?

Enquanto as competências pessoais e sociais são características, atitudes e comportamentos que facilitam as interações em contexto de trabalho, que fazem parte das qualidades de cada pessoa e que resultam da vivência de diferentes experiências e aprendizagens, sendo transversais a todas as áreas profissionais, as competências técnicas normalmente são adquiridas por via da formação ou da prática profissional.

Competências pessoais que os recrutadores valorizam

Na Rede São Domingos Emprega acreditamos que cada pessoa tem características próprias, ou adquiridas com as suas vivências, que podem potenciar o seu currículo e ajudá-la a obter melhores oportunidades de emprego.

Se já trabalhou em equipa e evitou conflitos no local de trabalho, se sabe respeitar as hierarquias e contribuir com ideias de forma positiva para a empresa, há pelo menos três competências pessoais e sociais que demonstra ter a partir dessa experiência: capacidade de trabalho em equipa, de comunicação e de relacionamento interpessoal.

Caso se tenha deparado com a reclamação de um cliente e tenha sabido tratá-la, sem que isso tenha resultado em prejuízo para a empresa ou o para o cliente, e tenha apresentado uma solução que satisfez ambas as partes, demonstra que tem capacidade de resolução de problemas.

Atualmente, e por consequência dos tempos de pandemia que temos enfrentado, tornaram-se ainda mais importantes competências como a resiliência, a proatividade e a confiança no uso das tecnologias de informação.

Se parar para analisar os postos de trabalho que fazem parte da sua experiência profissional, a sua postura e questões com que teve de lidar diariamente, conseguirá identificar mais competências sociais e pessoais do que provavelmente imagina, ou das quais não se lembrou anteriormente.

Pode aceder a esta página para saber detalhadamente quais são as principais competências pessoais, ou softskills, que os recrutadores valorizam hoje em dia.

Competências técnicas que devem fazer parte do seu currículo

As competências técnicas são inúmeras e relacionam-se com a área de trabalho em que se atua, mas algumas delas são úteis e valorizáveis se necessitar ou quiser fazer uma inflexão de carreira. Deixamos alguns exemplos das que pensamos ser pertinentes nos dias de hoje.

Desde logo, as competências digitais. Estas aptidões podem ser mais ou menos específicas consoante os seus conhecimentos. Hoje em dia, ter conhecimentos informáticos, mesmo que básicos, é essencial para quase todas as funções. O grau de exigência destes conhecimentos é maior quanto maior for a sua importância para a vaga em questão. Se tem conhecimentos em software de faturação, CRM, de design digital ou outros, é essencial que os coloque no seu currículo.

O conhecimento de línguas estrangeiras, as competências de escrita, revisão e produção de conteúdos, o conhecimento atualizado do código de trabalho ou das regras de classificação e enquadramento contabilístico, as competências pedagógicas de formação, são alguns exemplos de competências válidas em função das áreas profissionais.

Como deve colocar estas competências no CV?

O ideal será sempre destacar estes campos, tal como destaca a sua experiência profissional e formação académica.

Este tipo de competências tem um peso considerável em relação às expectativas do seu futuro empregador, e podem fazer a diferença face à sua “concorrência” ou ser mesmo decisoras para a sua contratação para um posto de trabalho.

No modelo Europass, esses campos podem ser adicionados ou preenchidos opcionalmente. Enquanto as competências técnicas funcionam por palavra-chave, as competências pessoais e sociais devem ser descritas de forma sucinta em texto ou através de tópicos.

Seja qual for o modelo de CV que irá usar, estas competências devem ter sempre uma secção própria, destacada das restantes e devem ser uma mais valia para si e para a sua candidatura.

No final do dia, a decisão de que qualidades e competências irá colocar no CV é sua. O importante é que as tenha identificado no seu percurso pessoal e profissional e que as saiba defender, caso o recrutador lhe coloque questões sobre elas.

O que é o emprego apoiado?

A Rede São Domingos Emprega, em estreita articulação com a APEA e o seu Gabinete de Emprego Apoiado, está capacitada para o acompanhamento individualizado de pessoas em situação de desvantagem e vulnerabilidade socioeconómica.

Dentro destes públicos mais vulneráveis, com maiores dificuldades de acesso a oportunidades de emprego em mercado aberto, incluem-se desempregados de longa duração, pessoas com doença mental, pessoas portadoras de deficiência ou incapacidade, minorias sociais, vítimas de violência doméstica, pessoas sinalizadas pelo sistema judicial ou ex-toxicodependentes.

A metodologia de emprego apoiado tem por base o acompanhamento através de percursos integrados de inserção.

O emprego apoiado é um processo que inclui seis etapas, que passam pelo envolvimento do candidato, uma avaliação do seu perfil vocacional, a reflexão sobre o percurso pessoal e profissional para procura de emprego, o envolvimento das empresas, um acompanhamento técnico pós colocação no posto de trabalho e, numa etapa final, a progressão de carreira.

Esta resposta pretende minimizar a exclusão do mercado de trabalho e oferecer serviços de suporte à integração destes públicos nas empresas.

Para saber mais sobre este assunto, consulte esta página.

Dia Mundial de Combate à Hepatite

Na Rede São Domingos Emprega apoiamos a inclusão social e laboral de públicos mais vulneráveis. Uma das formas que usamos para o fazer é através da partilha de informação, desmistificando e sensibilizando para as temáticas que muitas vezes estão na base dessas vulnerabilidades.

Hoje celebra-se o Dia Mundial de Combate à Hepatite e, nesse sentido, queremos dar voz ao papel do nosso parceiro da Rede, a Associação ABRAÇO, que presta apoio e serviços não só no âmbito do VIH/SIDA, mas também das Hepatites e outras Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

VIH/SIDA e o papel da ABRAÇO

O VIH/SIDA é conhecido em Portugal desde 1983, quando houve registo do primeiro caso da doença no país. Em 38 anos, foram registados 22835 casos de SIDA diagnosticados, sendo que tem vindo a haver um decréscimo constante e significativo desde 2003.

A Associação ABRAÇO, constituída na sua génese por voluntários que davam apoio social, psicológico e material a portadores de VIH internados no Hospital Egas Moniz em 1992, tem como missão, entre outras, a luta contra a discriminação das pessoas infetadas e a prevenção da infeção.

O que são as IST?

As Infeções Sexualmente Transmissíveis mais comuns são o VIH, a Sífilis, as Hepatites B e C, o HPV, a Gonorreia e a Clamídia.

As doenças como as Hepatites B e C, a Sífilis e o VIH transmitem-se através de relações sexuais desprotegidas, do contacto direto numa ferida aberta com sangue infetado ou através da mãe infetada para o feto ou filho recém-nascido. Estas doenças não se transmitem de outras formas que, por desconhecimento, receamos.

As Hepatites são infeções virais que provocam a inflamação do fígado. A maioria das pessoas não apresenta sintomas iniciais, sendo que estes sintomas não são específicos. No caso da Hepatite C, os sintomas podem demorar anos a surgir.

Embora exista vacinação obrigatória e gratuita para a Hepatite B, o mesmo não é aplicável para a variante C. Estas doenças, quando contraídas, têm tratamento mas, em casos de desenvolvimento crónico, podem evoluir para doenças mais graves como cirrose ou cancro.

A melhor forma de proteção contra qualquer uma destas doenças é a sua prevenção.

Formas de prevenção

– Não partilhar qualquer objeto cortante ou perfurante (agulhas de tatuagem, lâminas, piercings e brincos, escovas de dentes, tesouras e corta-unhas, etc.) e desinfetar todos os objetos contaminados com sangue;

– Evitar contactos sexuais desprotegidos;

– Fazer o teste, de forma rápida, gratuita e confidencial às IST através da ABRAÇO. Basta uma picada num dedo para, em poucos minutos, saber se contraiu alguma destas infeções.

Visite o site da ABRAÇO para saber como pode marcar o seu teste.

E lembre-se que as Hepatites, o VIH e as outras IST não se transmitem nas relações sociais com pessoas infetadas em locais de trabalho, na escola ou locais públicos nem através de líquidos corporais como a saliva, as lágrimas e o suor.

O teste é gratuito, anónimo, confidencial e o resultado está disponível em 20 minutos. Com um único teste poderá fazer o rastreio às principais IST. Proteja-se!

Fontes: ABRAÇO, PORDATA